Pages

Obesidade Infantil!



Obesidade infantil

Foi-se o tempo que criança saudável era criança gordinha. 
Hoje o cenário é assustador: a obesidade atinge 15% dos pequenos, que estão expostos a riscos de gente grande. 
A falta de exercícios e a alimentação inadequada são os grandes culpados pelos quilos a mais. 
Só para se ter uma idéia, quando o pequeno devora um pacote de bolacha na hora do lanche, está ingerindo o equivalente a uma refeição completa em calorias. 
Os prejuízos são enormes: além do impacto na auto-estima, aumenta a chance de problemas ortopédicos, de infecções respiratórias e de pele, de cirrose hepática por excesso de gordura depositada no fígado - a chamada esteatose. 
Pior: uma criança obesa em idade pré-escolar tem 30% de chances de virar um adulto rechonchudo. 
O risco sobe para 50% caso ela entre na adolescência gorda. 
Explica-se: as células adiposas vão ficando cada vez mais recheadas de gordura até que estouram e se multiplicam, fenômeno mais comum justamente no primeiro ano de vida e na adolescência. Reverter o quadro depende basicamente de uma coisa: reeducação alimentar.


Ele tem tendência à obesidade?

Os cientistas identificaram oito fatores que podem levar à obesidade a partir dos 7 anos:
1. Mães que engordam demais durante a gravidez podem gerar bebês com mais tendência à obesidade
2. Crianças com peso e altura acima da média entre 8 e 18 meses têm maior propensão ao problema
3. Ao completar um ano, o bebê não deve pesar mais do que o triplo do que tinha ao nascer
4. Também não deve crescer mais do que 25 centímetros no primeiro ano.
5. Bebês que dormem pouco ficam mais cansados e fazem menos atividades durante o dia, facilitando o acúmulo de gordura.
6. Crianças com mais de três anos que ficam mais de oito horas por semana na frente da TV
7. Aparecimento de gordurinhas localizadas antes dos quatro anos
8. Pais gordos: além da genética contra, os filhos podem imitar seus hábitos.
obesidade infantil pode ser um grave problema. 
Segundo a Pesquisa Brasileira do Orçamento Familiar do IBGE, na faixa etária de10 a 19 anos, a frequência de excesso de peso é de 16,7%. Esta taxa é ainda maior entre os pré-adolescentes, com idade entre 10 e 11 anos, chegando a 22%.
Para o Dr. Vladimir Schraibman, especialista em gastrocirurgia, uma pessoa pode ficar obesa quando ela consome mais energia do que o necessário. “É uma conta básica de subtração. A gordura corporal excessiva na infância pode surtir efeitos danosos à saúde em pessoas ainda muito jovens.”, comenta o médico.
Para combater este mal, o Dr. Schraibman explica quais são as principais causas da obesidade infantil, quais as doenças que ela pode desencadear no organismo dos jovens e ostratamentos mais indicados. Confira!

1-    Quais são as principais causas da obesidade em crianças e adolescentes?
As principais causas de obesidade infantil são o sedentarismo, a dieta inadequada, fatores genéticos e, na minoria dos casos, alterações hormonais.
2- Por que a obesidade infantil é tão atacada?
A obesidade infantil deve ser combatida, pois acredita-se que os adipócitos, as células que armazenam gordura, são definidas em sua quantidade durante a infância. Logo, o tratamento da obesidade vai influir por toda a vida do indivíduo.
3- Quais são as doenças relacionadas à obesidade infantil?
As principais doenças relacionadas são alterações na glândula tireóide e outras relacionadas a síndromes ovarianas.
4- Qual é a melhor forma de combater a obesidade infantil?
As melhores formas de combate incluem a prática de atividades físicas, a diminuição do sedentarismo por meio de restrições ao tempo de televisão, uso de videogames e internet, além de uma dieta balanceada e equilibrada. Caso estas medidas não funcionem, a avaliação médica adequada é fundamental.
5- Como detectar se a criança está obesa?
O pediatra sem dúvida é o especialista indicado para fazer esta avaliação, por meio do acompanhamento constante da criança, onde serão analisados peso e altura ideais para a idade e sexo da criança.
6- Um pré-adolescente gordinho pode ficar esbelto depois de entrar na puberdade?
Sim. O pessoa precisará seguir um programa que inclua exercícios físicos aliado a uma dieta balanceada, prescrita por um profissional pediatra ou nutricionista.
Portanto Mamães, Muito cuidado com os pequenos, Beijos e até o Próximo POst.

1 comentários:

Danielly Chrystina disse...

Nossaaa... Fico com tanta dó das crianças obesas!
Encaram outros problemas além da obesidade,
o bullying é o principal!

Tem parceria nova lah no blog,
corre lá! =D
Bjinhos =**

http://danymake-up.blogspot.com

Postar um comentário